Empregabilidade: a importância dos profissionais 50+ para a área de TI

No momento você está vendo Empregabilidade: a importância dos profissionais 50+ para a área de TI

De um lado, uma área que demandará quase 800 mil profissionais até 2025. Do outro, um país que soma mais de 55 milhões de pessoas acima dos 50 anos. Em meio a esse cenário, a empregabilidade dos 50+ cresce dia após dia no setor de TI.

Embora romper com o etarismo siga sendo um desafio (segundo dados da GPTW, os talentos desta faixa etária não chegam a ocupar nem 5% das vagas em empresas brasileiras), algumas organizações já estão dando passos interessantes neste sentido.

Ao longo deste conteúdo, falaremos mais sobre essas ações, além das vantagens de contratar profissionais mais experientes para ocupar posições de tecnologia. Acompanhe!

Entendendo o contexto atual da área de TI

Se você trabalha com recrutamento e seleção em uma empresa que demanda por profissionais de tecnologia, já deve saber: encontrar talentos qualificados nesta área é quase como achar água no deserto.

Segundo um estudo recente da Brasscom, Associação das Empresas de TIC e de Tecnologias Digitais, as empresas brasileiras demandarão 797 mil talentos de perfil tecnológico nos próximos três anos. Em contrapartida, o Brasil forma apenas 53 mil pessoas ao ano nesta frente.

Somados, esses dois dados apontam para um cenário alarmante, que já pode ser sentido há algum tempo pelas organizações: um déficit anual de 106 mil talentos tech, que se traduz na dificuldade em fechar vagas com agilidade e compromete o avanço digital.

Onde a empregabilidade dos 50+ entra nessa história?

Enquanto as empresas concorrem entre si por talentos de TI, há um grupo de profissionais que tem tudo para contribuir com a superação deste gap: aqueles com 50 anos ou mais.

De acordo com a edição mais recente da pesquisa “Diversidade do Setor TIC”, feita pela Brasscom, os talentos entre 18 e 24 anos ocupam um terço das posições técnicas do setor. Já os 50+ são responsáveis por menos de 5%.

Ou seja: embora essa faixa etária esteja presente, a empregabilidade ainda acontece de maneira muito tímida. Mas, considerando que 57% da força de trabalho brasileira terá mais de 45 anos em 2040, esse é um cenário tem tudo para mudar daqui pra frente.

Além disso, como dissemos antes, há mais de 55 milhões de pessoas que compõem essa faixa etária no país – muitas delas, aliás, esperando apenas uma oportunidade para colocar suas habilidades técnicas em prática.

O jogo já começou a virar

Como você viu até aqui, há bastante espaço para empregabilidade na área tech. E isso, consequentemente, tem feito com que muitas empresas olhem com mais atenção para os profissionais 50+.

Prova disso são os programas de formação e recrutamento voltados para esse público, como é o caso da iniciativa encabeçada pela Quod (empresa de análise de dados), que foca exclusivamente na contratação de pessoas com mais de 50 anos.

Outra ação que reforça o interesse do mercado em incluir mais pessoas da geração X na área de TI é o programa de requalificação em cursos de programação promovido pela Labora, em parceria com a Microsoft.

Além de ajudar a sanar o problema da escassez de talentos de TI, iniciativas como essa também contribuem com um assunto que tem aparecido com uma frequência cada vez maior na agenda das organizações: a diversidade e inclusão.

Afinal, já existe o consenso de que construir equipes plurais é o caminho para aumentar o engajamento, inovação, produtividade e satisfação no ambiente de trabalho. Na sequência, vamos falar mais sobre isso!

Vantagens de aumentar a diversidade geracional

O preconceito com base na idade ainda é uma realidade comum em muitas empresas, especialmente quando sobre empregabilidade de profissionais maduros. Porém, há muitos motivos para que isso seja superado e é sobre eles que vamos falar a partir de agora.

Em primeiro lugar, é importante lembrar que, embora cada geração possua características e até mesmo habilidades diferentes, todas elas podem contribuir positivamente com o dia a dia das empresas. Em determinadas situações, aliás, elas podem até mesmo se complementar.

Falando especificamente sobre os colaboradores mais maduros, uma pesquisa realizada pelo Datafolha em 2017 mostrou que eles tendem a serem mais tolerantes, cuidadosos, produtivos, responsáveis, educados, atenciosos e éticos – qualidades que, como você já deve saber, são especialmente importantes no mundo dos negócios.

Dito isso, veja algumas das principais vantagens de aumentar a diversidade geracional nas empresas a partir da contratação de pessoas 50+:

1.      Experiências de trabalho valiosas

Um profissional que está há anos no mercado de trabalho certamente já vivenciou muita coisa e precisou lidar com diferentes desafios. Essa experiência sólida é uma das grandes vantagens que os profissionais 50+ trazem.

Na área de tecnologia, por exemplo, os colaboradores mais velhos se destacam por dominarem sistemas mais tradicionais, que não são tão conhecidos pelos mais jovens (apesar de ainda estarem em uso).

2.      Aumento da colaboração entre as equipes

Os colaboradores com 50 anos ou mais tendem a valorizar bastante o trabalho em equipe. Até porque eles reúnem habilidades que favorecem a colaboração, como maturidade, tolerância, ética e responsabilidade.

Geralmente, essas qualidades resultam em colaboradores mais abertos a ajudarem os demais colegas do time. O que, por sua vez, só tem a beneficiar ambas as partes!

3.      Segurança na tomada de decisões

Um colaborador que acumula diferentes vivências e conhecimentos, tanto no âmbito profissional quanto pessoal, provavelmente se sentirá mais seguro para tomar decisões importantes para o negócio. Afinal, a segurança vem da experiência!

Além disso, funcionários com essa bagagem mais ampla raramente conseguem olhar para um cenário que precisa de intervenção rápida e não agir.

4.      Reforço das figuras de liderança

Profissionais 50+ também são fortes candidatos para ocuparem posições de liderança ou serem mentores dos colaboradores mais jovens. Em outras palavras, eles têm muito que ensinar.

Vale dizer que, ao contrário do que alguns ainda pensam, esses talentos também estão super dispostos a aprender – o que, mais uma vez, reforça a importância da diversidade geracional.  

5.      Marca empregadora fortalecida

Um estudo publicado pela revista Psychology Today mostrou que há uma relação direta entre um ambiente de trabalho diverso e inclusivo e o bem-estar dos funcionários. Mas o que isso tem a ver com a marca empregadora?

Bom, o mercado fala! Colaboradores que se sentem satisfeitos com o próprio trabalho tendem a comentar sobre isso com outras pessoas do seu círculo social. Eles viram, basicamente, embaixadores da empresa na qual trabalham.

Isso, por sua vez, ajuda a fortalecer a imagem da organização como sendo um lugar positivo para se trabalhar – o que tem um impacto direto na capacidade dela em atrair e reter talentos.

Para o bem ou para o mal, tudo vira um grande efeito dominó. Por isso é tão importante que as empresas estejam atentas às melhores práticas de gestão de pessoas, o que inclui o apoio à diversidade geracional.

Em suma, as vantagens apresentadas até aqui ajudam a reforçar que a empregabilidade dos 50+ tem tudo para continuar crescendo nos próximos anos, principalmente na área tech.

Aliás, as perspectivas são tão positivas que alguns profissionais deste grupo já cogitam migrar de carreira para aproveitar as oportunidades que estão se abrindo no mercado.   

Esperamos que as informações reunidas ao longo deste post tenham te ajudado a compreender as vantagens de contratar profissionais mais experientes. Para continuar por dentro das principais tendências do RH, inscreva-se em nossa newsletter!

Deixe um comentário